Entrando na savana

 (Parte I)

O desejo, a escolha, a decisão
ÁFRICA

Cansada de pensar, correr, trabalhar, de me preocupar com as coisas, com o almoço, com a família, com tudo… fui para a África do Sul com a intenção de estar na natureza, perto dos animais, estar no mundo deles…  Respirar novos ares, fazer meditação sem ser interrompida, ficar sem celular, sem internet, sem computador!
Ufa! Muito bom isso de desconectar do mundo para reconectar com o Universo! (recomendo a todos)
Queria ver os animais na casa deles, sentir o cheiro da savana, escutar o som da natureza.
E, de fato, pude ver famílias de hienas acordando pela manhã, leões dormindo à tarde, rinocerontes intrigados com a nossa presença, girafas que pareciam levitar enquanto caminhavam, zebras correndo, impalas assustadas com tudo. Uma verdadeira orquestra de pássaros, entre tantos outros animais, elefantes, crocodilos, búfalos, leopardos, chacais etc.

Um dia, no meu quarto do alojamento, eu me assustei com um barulho lá fora. Parecia que alguém havia decidido derrubar árvores. Eu escutava como se alguma coisa estivesse passando por cima delas. Corri para a varanda e me surpreendi mais ainda! Eram elefantes!! Muitos! Uma verdadeira manada caminhava em direção ao lago artificial, que os donos do lodge haviam construído. 

Foi uma emoção indescritível. Naquele momento, eu agradeci a Deus por me permitir testemunhar aquele desfile. E agradeci a mim mesma por ter decidido fazer aquela viagem. Deus permite as coisas, mas nem sempre aproveitamos essa liberdade de escolhas – conhecida como livre arbítrio -, que Ele nos deu de presente.